PESQUISE NO BLOG

 

terça-feira, 21 de maio de 2013

OPERAÇÃO DA POLÍCIA PRENDE QUADRILHA COM ARMAS, DROGAS E R$ 70 MIL

.

Bando escondia cocaína, armas e R$ 70 mil


Quinze quilos de cocaína, 3,5 quilos de crack, duas submetralhadoras e R$ 70 mil, apreendidos pelas polícias Civil e Militar, com a quadrilha do traficante Olívio Pereira dos Santos Neto Segundo, o “Gavy”, foram apresentados à imprensa, na manhã desta segunda-feira (20), no auditório da Secretaria da Segurança Pública (SSP), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). A operação conjunta aconteceu nos bairros Campinas de Pirajá e Boa Vista de São Caetano, na sexta-feira (17).

Os delegados José Bezerra, diretor adjunto do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Odair Carneiro, titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), o diretor geral do Departamento de Polícia Técnica (DPT), Elson Jefersons Neves da Silva, e o coronel José Jorge Nascimento, subcomandante de Operações da PM, apresentaram aos jornalistas “Gavy” e os comparsas Jackson Almeida Santos, o “Jacó”, Josnei Jesus dos Santos, o “Guga”, e Ueidson Sena, o “Cirinho”.

Eles foram capturados durante a Operação Corcovado, destinada ao cumprimento de 24 mandados de busca e apreensão e um de prisão, expedidos pela 1ª Vara Privativa de Tóxicos. A Operação contou com as participações do DHPP, Denarc (Dapartamento de Narcóticos), Operação Gêmeos e Rondesp, ambas da PM, além do DPT.
Na casa de Olívio, localizada à Rua Márcia Neiva, em Campinas de Pirajá, os policiais encontraram os R$ 70 mil, em espécie, uma balança de precisão, sacos plásticos para embalar drogas, celulares, um notebook, uma máquina fotográfica e diversos documentos, como carteiras de habilitação e RGs.

Também em Campinas de Pirajá, funcionava um laboratório de drogas, na Travessa Bom Pastor, onde os investigadores e os PMs apreenderam cocaína, já embalada para venda, crack, várias embalagens, um rádio, uma capa para colete antibalístico e duas balanças de precisão.

Na residência de outro integrante da quadrilha, estavam escondidas duas submetralhadoras de fabricação caseira, mais embalagens plásticas para maconha e material usado para refinar cocaína. Uma caminhonete Mitsubishi, modelo L 200 Triton, de cor branca, placa APA-1166, e uma motocicleta também foram apreendidos durante a ação. Ueidson Sena tinha um mandado de prisão em aberto.

Em Pernambués

Investigadores da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) prenderam, na noite da última sexta-feira (17), as traficantes Isabel Cristina Santos Costa, 23 anos, Alessandra Gomes Silva, 34, e Cláudia de Jesus Meira, 23, com 30 quilos de maconha e 115 gramas de cocaína, numa residência localizada na rua Minas Gerais, em Pernambués. A droga foi encontrada no quarto de Isabel, responsável pelo imóvel, ao lado de uma cama de casal.

Averiguando denúncias de que naquele endereço funcionava um ponto de venda de drogas, os policiais chegaram ao local quando Isabel entregava 10 quilos de maconha para Alessandra, que confessou estar levando o produto para um homem conhecido como “Gordo”, na cidade de Irecê. Com mandado de prisão em aberto por tráfico, em Jequié, quando foi presa com 71 pinos de maconha, Cláudia, que também estava na casa, negou que estivesse ali por conta da droga.

Foram apreendidos também duas balanças, uma moto Honda CG 150 Titan preta, de placa JSC 3960, que, segundo Isabel, seria de seu companheiro, um carro Fiat Strada branco, de placa NZY 3429, de um conhecido que não soube identificar, uma carteira de habilitação falsa, em nome de Alonso César da Silva, e uma folha impressa com carteiras de visitante, em branco e aparentemente falsificadas, do Presídio Salvador.

A polícia encontrou ainda um extrato de transferência bancária da conta de Isabel para uma mulher identificada como Aline da Silva Lima, bem como um notebook, sete aparelhos de celular e uma caderneta contendo anotações sobre a venda e o fornecimento de drogas. As três mulheres e todo o material foram apresentados à imprensa, na tarde desta segunda-feira (20), pelos delegados André Viana, diretor do Departamento de Narcóticos (Denarc), e Guilherme Machado, titular da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE).

Salientando a importância do Disque Denúncia (que atende pelo telefone 3235-0000) neste episódio, o delegado André Viana disse aos jornalistas que a participação da comunidade, compartilhando informações com os órgãos de segurança pública, contribui com o trabalho da polícia. “Uma informação como esta, que recebemos no Disque Denúncia, permitiu retirar uma quantidade significante de drogas das ruas”, reconhece o delegado.

Segundo ele, a droga hoje está por trás de grande parte dos homicídios, daí a Polícia Civil vir estimulado ações conjuntas do Denarc e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). “Nos bairros da cidade onde houver indícios de que o tráfico está presente nos índices de homicídios, as duas unidades estarão juntos reprimindo a ação dos grupos envolvidos”, enfatizou o diretor do Denarc. As três mulheres estão custodiadas na carceragem da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes contra a Criança e o Adolescente (Dercca), à disposição da Justiça.

Bom Jesus da Lapa
Operação conjunta das polícias Civil e Militar, em Bom Jesus da Lapa, para cumprimento de mandado de busca e apreensão, resultou neste sábado (18) nas prisões em flagrante de Zilene Laurença de Jesus Nunes e Neuza Francisca Souza, mães dos traficantes Francileno de Jesus Nunes, o “Su”, e José Nativo Júnior, o “Nativinho”, apontados com os principais fornecedores de drogas da cidade, e também da mulher deste último, Micaela Silva Leite.

Na residência de Zilene, os policiais apreenderam uniformes camuflados das Forças Armadas, três espadas ninja, duas balanças, dois revólveres calibre 38, uma pistola e mais de 150 munições de calibres diversos, dentre elas de uso restrito. As três mulheres foram flagradas juntas e autuadas por porte ilegal de arma e associação para o tráfico, encontrando-se agora custodiadas na sede da 29ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Bom Jesus da Lapa).

Desaparecidos desde que a operação foi deflagrada, Su e Nativinho estão sendo procurados pela polícia, que solicita à comunidade da cidade e região que qualquer informação sobre seus paradeiros pode ser encaminhada pelos telefones (77) 3481 1240, da Polícia Civil, e (77) 3481 5642 ou 190 da Polícia Militar. O sigilo é garantido.

De acordo com os investigadores da 29ª Coorpin, Su é acusado de diversos homicídios, a maioria contra usuários inadimplentes.Em janeiro deste ano, em companhia de Nativinho, seu braço direito e responsável pelo gerenciamento dos pontos de vendas de droga da quadrilha, atirou contra quatro policiais militares à bordo de uma viatura. Ambos têm mandados de prisão em aberto por homicídi o e pela tentativa de homicídio contra estes PMs. Todo o material apreendido na casa da mãe de Su foi encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) para perícia.

FONTE: SSP/BA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário